InícioNotíciaPor que diabéticos estão entre grupos mais vulneráveis ao coronavírus? Saiba quais...

Por que diabéticos estão entre grupos mais vulneráveis ao coronavírus? Saiba quais são os riscos

Diabéticos estão entre os grupos mais vulneráveis ao novo coronavírus por dois motivos principais: excesso de glicose no sangue e tendência a inflamação – essas duas condições impedem que o sistema imunológico responda adequadamente a infecções por vírus e bactérias.

Relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde colocam quem tem diabetes entre os mais suscetíveis à Covid-19. De acordo com médicos ouvidos, os principais fatores que explicam a vulnerabilidade são:

  • excesso de açúcar no sangue dificulta o combate a doenças
  • processo de inflamação é mais acentuado nos diabéticos
  • Por causa do sistema imunológico comprometido de quem tem diabetes, alguns sintomas da infecção por coronavírus demoram a aparecer

Veja os cuidados específicos que diabéticos devem tomar:

  • Controlar a glicemia (índice de açúcar no sangue)
  • Dieta balanceada e atividade física constante
  • Tomar vacinas para outras infecções virais e bacterianas

Entenda os riscos para diabéticos

“O excesso de açúcar causa um atordoamento do sistema imunológico. Ele altera a atividade cardiovascular e faz com que o organismo não combata ameaças”, explica ao G1 o alergista Marcelo Bossois, membro do projeto Brasil sem Alergia.

O endocrinologista João Eduardo Nunes Salles, membro da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), explica que diabéticos têm mais tendência a desenvolver inflamações.

“Mesmo a hiperglicemia esporádica, como o pico registrado depois da refeição, diminui a ação dos linfócitos, as células de defesa. Diabéticos têm o processo inflamatório mais exacerbado e ativo, principalmente pacientes com obesidade, o que também sobrecarrega a resposta imunológica”, diz o endocrinologista.

Por conta do sistema imunológico comprometido, diabéticos não conseguem dar os sinais de alarmes claros da doença, segundo a infectologista Rosana Richtmann, também da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

“Esses vírus não vão dar febre com intensidade [nos diabéticos]. A doença vai penetrar de forma mais grave e silenciosa”, afirma a médica.

De acordo com o endocrinologista João Eduardo Nunes Salles, de todos os sintomas que diabéticos com Covid-19 têm, o mais intenso é a falta de ar.

“Os infectados vão perceber a necessidade de fazer inspirações mais longas e também que estão mais ofegantes. Eles podem evoluir rapidamente para um quadro de Síndrome da Angústia Respiratória Aguda [Sara], que é a insuficiência respiratória mais grave.”

Mais recomendações para diabéticos

O controle da glicemia é a medida mais eficaz para proteger diabéticos de infecções. Outras orientações são a dieta balanceada e a atividade física constante

Médicos também recomendam que o paciente se prevenia de outras infecções para não debilitar o organismo.

“Toda vez que o paciente tem uma infecção aguda, na fase da convalescênça, com toda a atenção da imunoglobulina combatendo um agente agressor, o paciente fica mais suscetível a ter uma dupla infecção”, explica a a infectologista Rosana Richtmann.

Os especialistas também citam cuidados básicos para evitar o contágio do coronavírus: lavar as mãos, evitar tocar o rosto sem higienizar as mãos e evitar aglomerações.

Dicas de prevenção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1
Dicas de prevenção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1


https://g1.globo.com/

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS POPULARES